MÚSICA | BiS, BiSH, o anti-idol e a contracultura no j-pop

20:12:00 2 Comments


Desde sempre a música precisa se reinventar. O surgimento de novos gêneros, novos movimentos e novas maneiras de ver e fazer música, contribuem para que sempre tenhamos algo novo e interessante para ouvir. E principalmente para o meio musical não se tornar um grande "mais do mesmo".
Cada país tem seus gêneros próprios e seus movimentos musicais surgindo o tempo todo (aqui no Brasil tivemos a tropicália, o mangue-beat, o funk carioca, dentre outros).

No Japão existem os chamados "idol groups". O fenômeno consiste em uma leva de grupos de j-pop (música pop japonesa) fabricados e agenciados intencionalmente para serem ídolos. O conceito de ídolo no Japão, é uma parte separada dos artistas comuns. Um ídolo é um objeto comercial, um artista mais admirado pelos jovens e com mais facilidade em vender produtos.


As características mais recorrentes em idol groups são um pouco específicas. Geralmente são de j-pop, com formação feminina, podem ter de dois a quinhentos membros, usam figurino uniformizado e são adeptas a coreografias.

O maior idol group japonês de todos os tempos (ninguém desbancou ainda) é o AKB48. Maior em todos os sentidos, não me arrisco dizer o número de integrantes porque são quase 100 e o número varia com a saída e entrada de integrantes. É claro que nas apresentações não vão todas, o grupo é dividido em times, mas isso já foge do nosso tema. O interessante é que o criador do grupo, criou o AKB48 pensando no tema "Idols que você pode conhecer", pois inicialmente o grupo se apresentava em um teatro criado especialmente para suas apresentações.


Voltando ao assunto dos movimentos que trazem algo novo para a música, existe um fator que vai além de trazer simplesmente algo novo. A contracultura (rejeição aos valores e práticas da cultura predominante ou mais recorrente). Costumo pensar que o a Alemanha tem o Rammstein, o Brasil teve o UDR, e o Japão teve o BiS.

O BiS foi um idol group formado pela cantora Pour Lui em meados de 2010. Pour havia anunciado o fim de sua carreira solo e que iria montar um idol group. Aparentemente seria um grupo como qualquer outro, até você se ligar no fato de que a Pour Lui vai contra a ideologia idol. É aí que começam as deturpações. Utilizaram o slogan "Idols que você pode tocar", satirizando o famoso slogan do AKB48 (grupo cujo a Lui citou como o primeiro a morrer no "idolcídio", que seria um massacre onde as integrantes do BiS matariam todos os grupos idols).
A sigla BiS significa Brand-new idol Society, visando trazer uma "nova sociedade idol", o que foi popularmente chamado de "anti-idol". O BiS também foi considerado um "grupo idol alternativo", por suas várias diferenças com os demais grupos.

A diferença do BiS para os outros grupos idols vem desde a sonoridade, até a performance visual.
Musicalmente, o grupo misturava j-pop com metal, punk, noise, hardcore, e outros gêneros. As músicas abordam temas adultos como tristeza, religião, natureza, sentimentos, medos, preocupações, abandono, nudez, dentre outros assuntos.
A própria Pour Lui assume que alguns videoclips do BiS são pesados e difíceis de assistir. Os vídeos retratam bem os temas das letras, além de ter a intenção de chocar.

Infelizmente o BiS acabou em 2014, mas no ano seguinte o produtor do grupo, Watanabe Junnosuke, fundou o BiSH.


O BiSH seria uma continuação do BiS, embora não tenha nenhuma integrante do grupo anterior, o BiSH continuaria com os mesmos princípios de Pour Lui, tendo como significado Brand-new idol SHiT.

E no vídeo de estreia, o BiSH pegou mais pesado ainda, usando o SHiT do nome e fazendo referências a coprofilia (atração por fezes), onde se melam com lama. Além disso, foi determinado um termo oficial para os fãs. Seisoin, que significa "assistente de limpeza". 
O grupo também chegou a ser convidado e depois cancelado para o Tokyo Idol Festival 2015. Em resposta a isso, o BiSH realizou alguns festivais próprios onde o line-up integrava BiSH, BiSH, BiSH, BiSH, BiSH e BiSH. E sim, elas se apresentaram mais de uma vez no mesmo show.

Até então o grupo era independente, mas em janeiro desse ano, a banda entrou para a gravadora avex, que já foi gravadora do BiS. Porem o grupo anunciou que seu nome não teria mais o subtítulo Brand-new idol SHiT, sendo trocado pela frase "Gakki wo Motanai Panku Bando", que significa "banda punk sem instrumentos".

Continuando a contracultura proposta pelo BiS, sendo menos escrachado e mais sério, o idol group BiSH segue a plenos pulmões, influenciando outros grupos (como o Deep Girl), e deixando sua marca na cultura pop japonesa.




PS. ATUALIZAÇÃO: Logo depois dessa matéria ser publicada, o BiS voltou com uma nova formação e já está lançando material novo.

2 comentários:

  1. As meninas tem uma pegada bem rebelde mesmo, e eu gostei. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Eu adoro gosto bastante (e de AKB48 também).
      Você falou de rebeldia, esse ultimo clipe do post, elas estão "quebrando" monumentos históricos e simbólicos do Japão que todo mundo preserva. Foram muito odiadas por conta disso, mas não estão nem aí.

      Excluir